Saúde e Estética

Epilepsia: Como saber se tenho, cuidados e sintomas

De acordo com os médicos, a epilepsia é um tipo de doença que age sobre as células do cérebro causando convulsões. Segundo estudos, só no Brasil são diagnosticados mais de 150 mil casos por ano. Leia o artigo a seguir e entenda tudo o que é preciso saber sobre esse problema presente na vida de milhares de pessoas em todo o mundo.

O que é Epilepsia?

A epilepsia é dado como um problema na atividade das células nervosas do cérebro, resultando em convulsões. As principais causas do surgimento dessa doença são:

  • Trauma sofrido na cabeça;
  • Distúrbio genético;
  • Acidente vascular cerebral;
  • Neurocisticercose;
  • Meningite;
  • Alcoolismo;
  • Uso de drogas.

O que acontece com o corpo durante uma crise epilética?

Durante uma crise epilética a pessoa perde o domínio sobre as ações do corpo, com isso o corpo cai no chão e passa a ter uma série de contrações musculares e movimentos involuntários, dentre as principais reações estão:

  • Mordedura da língua;
  • Salivação;
  • Respiração ofegante;
  • Desmaio;
  • Espasmos musculares;
  • Formigamento.

O que o corpo sente após um ataque epilético?

Após um ataque epilético existem vários sintomas que podem surgir no corpo:

  • Sintomas visuais;

  • Sintomas sensitivos;
  • Amnésia;
  • Confusão mental;
  • Depressão;
  • Medo;
  • Dor de cabeça;
  • Paralisia temporária;
  • Sonolência.

Quais os tipos comuns de ataque epilético?

Convulsão

A convulsão é o ataque mais conhecido. O corpo sofre uma descarga de movimentos descontrolados resultados pelo descontrole cerebral, este causado pelo desequilíbrio o qual o sistema nervoso é acometido.

Desligamento

A pessoa perde os sentidos e os movimentos por alguns segundos ficando apenas com o olhar fixo e sem reação. Devido ter uma duração de poucos segundos, muitas vezes este tipo de ataque não é percebido por quem esta ao redor.

Crise parcial complexa

Nessa crise a pessoa fica como se estivesse consciente de suas reações, porém ela não tem nenhum tipo de poder sobre as reações que o corpo sofre. Durante esse ataque a pessoa pode ranger os dentes, falar de forma que não é possível a compreensão e andar sem ter uma direção.

Qual o tratamento da epilepsia?

O tratamento é realizado através de medicação via oral que age combatendo as descargas impróprias do cérebro. De acordo com estudos, cerca de 25% dos epiléticos sofrem com os piores estágios da epilepsia, com isso o tratamento acaba sendo necessário por toda a vida.

Quando as crises se tornam muito frequentes a única alternativa para a resolução do problema é através de intervenção cirúrgica. Hoje no Brasil já existem centros especializados no tratamento de epilepsia que são aprovados pelo Ministério da Saúde.

Quais os medicamentos utilizados no tratamento da Epilepsia?

Os medicamentos mais utilizados para tratar a epilepsia são sedativos que causam sonolência, fazendo com que o corpo relaxe evitando a crise. Os anticonvulsivos diminuem a dor causada no corpo pela crise.

  • Rivotril;
  • Fenitoína;
  • Depakene;
  • Diamox;
  • Topiramato;
  • Carbamazepina;
  • Amato.

Quais os profissionais que tratam a epilepsia?

Quando o corpo dá indícios de epilepsia é necessário procurar ajuda médica imediatamente. Os profissionais ideais para tratar o problema são:

  • Neurologista: profissional especialista em doenças neurológicas.
  • Neurocirurgião: médico especialista em distúrbios do sistema nervoso.
  • Clinico geral: este diagnostica e trata diversos tipos de doenças.

Como prestar socorro a alguém que esta tendo um ataque epilético?

Para socorrer uma pessoa que esta tendo uma crise são necessários alguns passos que devem ser feitos com bastante cuidado para preservar a integridade física da pessoa, sendo eles:

  • Colocar a pessoa deitada de barriga para cima;
  • Retirar do corpo objetos que possam machucar, como anel, colar e relógio;
  • Colocar um tecido na boca para evitar que a pessoa machuque a língua;
  • Levantar o queixo para melhorar a respiração;
  • Caso as roupas sejam desconfortáveis deve afrouxá-las para deixar o corpo relaxado;
  • Não tentar segurar a pessoa, deixe-a livre para que o corpo libere a descarga;
  • Caso a pessoa babe, colocar a cabeça de lado para não correr o risco de um sufocamento;
  • Ao terminar a crise permanecer a pessoa deitada por alguns instantes para que ela relaxe;
  • Não bater no rosto;
  • Verificar se a pessoa possui algum tipo de identificação médica que mostre que ela tem epilepsia;
  • Não jogar água sobre o corpo.

Gostou das dicas? Sofre com epilepsia? Comente.